O que você usa como critério para escolher o prefeito de Dourados?

O CNOn analisou currículos e mandatos de ex-prefeitos e também as experiências dos atuais pré-candidatos à prefeitura da segunda maior cidade do Estado

Por João Rocha Filho em 10/08/2023 às 14:58:45

Quando uma empresa decide contratar um novo gestor, seja para ampliar os negócios ou para resolver problemas administrativos, a primeira coisa a ser analisada são os curr√≠culos dos candidatos a vaga.

Entre os fatores determinantes para a escolha, tr√™s são indispens√°veis. São eles: habilidades técnicas, experi√™ncias acumuladas na √°rea e liderança. E quanto maior a empresa, maior a exig√™ncia e o rigor no processo de seleção.

Ao analisar essa postura adotada pela iniciativa privada e também por entidades e cooperativas, é poss√≠vel perceber quão importante e séria é a escolha de um prefeito. Pessoa que ser√° respons√°vel pela administração da cidade pelo per√≠odo de quatro anos.

Mesmo que o chefe do executivo escolha bem as pessoas para chefiar as secretarias, se ele mesmo não tiver experi√™ncia em gestão, conhecimento em macroeconomia, noções b√°sicas de contabilidade p√ļblica e esp√≠rito de liderança, ter√° sérias dificuldades para delegar os subordinados, dialogar com o corpo técnico e tomar decisões assertivas para a cidade.

Moradores mais antigos do munic√≠pio dizem que um dos melhores prefeitos de Dourados foi José Elias Moreira (PDS), que era formado em Agronomia, atuava como produtor rural e empres√°rio. A administração dele foi marcada pela visão de futuro, que tinha. Estudou, planejou e executou obras preparando o munic√≠pio para 50 anos de crescimento. Para comandar essa empreitada, Zé Elias contratou, na época, o renomado arquiteto e urbanista Jaime Lerner, que ajudou projetar Curitiba e que tem v√°rias obras reconhecidas internacionalmente.

Outro prefeito, que a população diz ter feito um primeiro mandato exitoso, foi Antônio Braz Genelhu de Melo (MDB), que era engenheiro civil, e nesta √°rea trabalhou em grandes obras como o Centro de Ci√™ncias Médicas e o metrô do Rio de Janeiro. Em Dourados atuou diretamente na implantação do esgoto sanit√°rio, pela Sanemat e na captação de √°guas do Rio Dourados. Foi também o engenheiro respons√°vel pelo loteamento do Jardim Água Boa, maior bairro do munic√≠pio, além do Portal e dos Jardins Flórida I e II. Foi dele também o projeto de um dos primeiros prédios da cidade, o Edif√≠cio Adelina Rigotti (prédio das araras).

Laerte Tetila (PT), geógrafo e professor universit√°rio, conseguiu fazer também uma gestão razo√°vel como prefeito, mas contou com a sorte, fruto de alinhamento pol√≠tico, no Estado e no Pa√≠s, tendo um governador (Zeca do PT) e o presidente da rep√ļblica (Lula) do mesmo partido.

Dos prefeitos que vieram depois destes, o √ļnico que apresentou no curr√≠culo um pouco mais de conhecimento técnico e experi√™ncia em gestão, foi Murilo Zauith (DEM), engenheiro civil e socio-propriet√°rio da Faculdade Unigran, mas que fez uma gestão aquém do que a população esperava.

Ari Artuzi (PDT), não tinha formação universit√°ria, conhecimento técnico, nem habilidades em gestão e acabou preso no maior escândalo de corrupção da história da cidade. J√° Délia Godoy Razuk (MDB), pedagoga e com experi√™ncia somente no legislativo municipal, sequer conseguiu aprovação para poder arriscar uma candidatura à reeleição.

Em 2020, mais recente eleição municipal. A disputa ficou polarizada entre dois nomes. De um lado o atual vice-governador, José Carlos Barbosa (PSDB), advogado, com bastante experi√™ncia em gestão. Assumiu a administração da Sanesul - Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul, em 2007 onde foi respons√°vel pelo maior investimento em saneamento do Estado, sendo eleito em 2012, presidente da Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento (AESBE) e do outro lado, o atual prefeito Alan Aquino Guedes (PP), também advogado e professor universit√°rio, com experi√™ncia apenas dentro da Câmara de Vereadores do Munic√≠pio. Os eleitores optaram pelo professor universit√°rio, que hoje sofre com o alto √≠ndice de reprovação.

ELEIÇÔES 2024

No ano que vem haver√° nova disputa eleitoral em Dourados. Até o momento seis pol√≠ticos se apresentaram como pré-candidatos: O atual prefeito, advogado e professor universit√°rio, Alan Guedes, que vem para a reeleição. O radialista Marçal Filho (PP), que tem experi√™ncia dentro do legislativo e é dono de uma r√°dio. A jornalista Lia Nogueira (PSDB), formada em direito, que tem experi√™ncia como vereadora e h√° menos de dois anos est√° no legislativo estadual. Geraldo Resende (PSDB), eleito para o sexto mandato de deputado federal, e que durante a pandemia fez a gestão da Secretaria de Estado de Sa√ļde, no Mato Grosso do Sul, mas perdeu a chance de transformar a sa√ļde de Dourados, nesse per√≠odo. O produtor rural, Zé Teixeira (PSDB) que tem muita experi√™ncia como legislador e pol√≠tico, cumprindo atualmente o oitavo mandato de deputado estadual, e o advogado e professor universit√°rio, Tiago Botelho (PT), que não tem experi√™ncia dentro dos legislativos municipal e estadual e est√° tendo agora a oportunidade de mostrar os conhecimentos como gestor, no cargo de Superintendente de Patrimônios da União, que assumiu h√° cerca de um m√™s.

Como não é poss√≠vel contratar um prefeito por apenas tr√™s meses, em regime de experi√™ncia. Os riscos da população sofrer com efeitos negativos causados por uma m√° gestão aumentam bastante.

Braz Melo conta que quando assumiu a prefeitura de Dourados, h√° 26 anos, mesmo com vasta experi√™ncia em gestão e execução de obras, teve dificuldade no in√≠cio. Ele garante que o conhecimento técnico que adquiriu foi fundamental para montar uma boa equipe de secret√°rios e estabelecer prioridades para o munic√≠pio. "Eu vivia nas ruas da cidade acompanhando obras, ouvindo as reclamações e vendo de perto os problemas. Dessa forma conseguia realizar pequenas ações, mas que geravam grandes impactos na sociedade. Ser prefeito de gabinete, qualquer um consegue. Agora para ter bons resultados é preciso mais que grupo de Whatsapp. Tem que ouvir quem vive de perto os problemas", explicou o ex-prefeito.

Se por hipótese, o eleitor escolhesse o candidato baseado apenas em experi√™ncia, Alan Guedes, que sofre com uma gestão t√≠mida e sem ações expressivas, por herdar uma cidade com in√ļmeros problemas, teria vantagem sobre os demais postulantes, uma vez que adquiriu experi√™ncia no primeiro mandato, podendo ter uma segunda gestão mais exitosa.

Outro que, mesmo sem ter sido prefeito, se destaca pela experi√™ncia é o deputado federal Geraldo Resende, que teve um bom desempenho a frente da Secretaria de Estado de Sa√ļde do Mato Grosso do Sul, durante a pandemia da Covid-19. O momento de instabilidade exigiu dele e de sua equipe decisões √°geis e assertivas, tanto na busca por recursos e vacinas, quanto na realização de ações efetivas para salvar vidas, nas 79 cidades do MS.

J√° os demais terão que convencer o eleitor, que mesmo tendo pouca ou nenhuma experi√™ncia dentro do Executivo, estão dotados de capacidade técnica e outras habilidades que os capacitam a fazer uma boa administração.


Fonte: CNon - Canal de Notícias On-Line

Comunicar erro
Marlene Rosa

Coment√°rios

Pena e Fabio